SEBRAE Cliente Sebrae

Compartilhe
Plant
São Paulo/SP

Edileuza empreendeu criando hortas urbanas em telhados de empresas

Após uma ameaça, Edileuza precisou abandonar o trabalho que fazia em uma ONG. Ela então decidiu empreender construindo hortas em telhados de empresas, promovendo a inclusão de agricultores familiares e de mulheres em situação de vulnerabilidade social.

Com o Sebrae eu entendi minha responsabilidade com os impostos, aprendi a trabalhar as planilhas de custos e a montar um orçamento.

01

A geógrafa Edileusa Andrade, ou Lê, como é conhecida, trabalhava em uma ONG em São Paulo (SP), atendendo pessoas em situação de vulnerabilidade social em comunidades de baixa renda. O trabalho ia bem até que em 2016 ela foi ameaçada por pessoas ligadas ao tráfico da região em que atuava. O trauma foi enorme: Lê desenvolveu síndrome do pânico e teve de deixar o trabalho.

Em casa, pensando como conduziria sua vida profissional a partir daquele momento, começou a desenhar um projeto para trabalhar com hortas em comunidades, como forma de continuar a atender o público de baixa renda. A primeira ideia era ajudar as pessoas a criar hortas que gerassem renda para custear outros projetos. 

Lê levou então seus planos para a um hackathon promovido na Campus Party pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pelo Sebrae, voltado para projetos que atendessem aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

02
03

Durante cinco dias, teve ajuda do Sebrae para montar seu plano de negócios, com uma alteração: as hortas seriam oferecidas para empresas e não pessoas físicas. O resultado foi o melhor possível: Lê venceu a competição e já saiu do evento com o primeiro cliente.

04

O passo seguinte foi formalizar a empresa, que ganhou o nome de Plant, e iniciar o serviço de construção de fazendas urbanas, também chamadas de telhados comestíveis.  O projeto também inclui centros de compostagem para as empresas. Nessa fase do empreendimento, a empresária diz que encontrou grande apoio no Sebrae para lidar com questões administrativas e de gestão de negócios. 

Desde então, os negócios só têm crescido, e a Plant, que no início só contava com a Lê, passou a ter sete funcionários fixos e três esporádicos. Em 2018, ganhou o Prêmio Incluir, concedido a empreendedores que desenvolvem soluções que contribuem para o desenvolvimento humano sustentável.

Nos quase três anos de existência, já foram construídas sete hortas em três estados do Brasil, sempre pautadas pela preocupação socioambiental. 

O material usado é fornecido por cooperativas de reciclagem, as mudas são produzidas por agricultores familiares e a manutenção é feita por mulheres em situação de vulnerabilidade social.

Fiz muitos cursos online, e o Portal do Empreendedor também ajuda muito. Inclusive aprendi a não desistir, porque, toda vez que estou pensando que vai dar tudo errado, acaba vindo uma indicação do Sebrae para participar de alguma coisa. Se eles acreditam no meu trabalho e confiam que é um negócio de sucesso, não tenho por que não acreditar.
Como meta para o futuro próximo da Plant, Lê trabalha para levar as fazendas urbanas a empresas do Nordeste, onde começou sua carreira profissional. "Quero muito voltar para o lugar onde tive o primeiro contato com a terra e com essa questão da horta".
Curtiu essa história?

Compartilhe essa história:

Essa história continua. Siga nas redes.

Queremos conhecer a sua história e como o Sebrae fez parte dela.

Conte sua história

Veja mais histórias de sucesso

Encontre histórias que têm a ver com você.
105 histórias
Filtros
UF
  • AC
  • AL
  • AM
  • AP
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MG
  • MS
  • MT
  • PA
  • PB
  • PE
  • PI
  • PR
  • RJ
  • RN
  • RO
  • RR
  • RS
  • SC
  • SE
  • SP
  • TO
Solução
  • Cursos e eventos
  • Fale com Especialista
  • Sebraetec
  • Empretec
  • Outros
Segmento
  • Vestuário e acessórios
  • Alimentação e bebidas ou gastronomia
  • Eventos
  • Beleza e estética
  • Construção civil
  • Oficina/mecânica
  • Sustentabilidade
  • Tecnologia
  • Transporte