SEBRAE Cliente Sebrae

Compartilhe
Angí Chocolates
Campo Grande/MS

Beatriz criou marca de chocolate fictícia que se tornou ótimo negócio real

Em um desafio do Empretec, Beatriz precisou desenvolver e vender um produto que não fosse de sua área de atuação. Assim surgiu a marca de chocolate fictícia que fez sucesso nas redes sociais. Com o Sebrae ela teve apoio para transformar a ideia em um ótimo negócio real.

Aprendi que tenho muita capacidade de evoluir como empresária quando estou conectada a esse ambiente empreendedor que o Sebrae oferece.

01

Quando Beatriz Branco voltou ao Brasil após ter cursado design de produtos em Milão, na Itália, ela resolveu transformar um hobby em trabalho e abrir uma loja de móveis de design próprio. Para seguir com o plano adiante, procurou o Sebrae de Campo Grande-MS em 2017 para fazer o Empretec. 

Durante a imersão de capacitação, a designer participou de um desafio em que teve criar a marca de um negócio que não fosse de sua área de expertise e comercializar o produto por uma semana. Quem vendesse mais vencia a competição.

Beatriz decidiu criar uma marca de chocolate. Desenvolveu o conceito, criou a identidade visual e a embalagem do produto. Fez um protótipo no Photoshop e, sem nunca ter feito um chocolate na vida, anunciou no Facebook. 

02
03

Pensei: se alguém encomendar, eu derreto uns chocolates, faço as barras e vai dar tudo certo. Só que bombou, tive de virar noite, passei a semana fazendo chocolate para atender os pedidos.

04

O resultado não podia ser outro: Beatriz ganhou o desafio do Empretec. E foi assim, meio por acaso, que nasceu a Angí Chocolates, uma marca de chocolate pantaneiro, com frutas e castanhas da região.

Após a competição, as encomendas não pararam de chegar. Um jornal local fez até reportagem sobre a nova marca. No início, a designer resistiu em aceitar os novos pedidos, justificando que era apenas uma experiência pedagógica, mas acabou convencida de que tinha criado um bom negócio. 

Com convites para fornecer seus chocolates para eventos, as encomendas aumentaram ainda mais, e Beatriz precisou dedicar a cozinha de sua casa exclusivamente para a produção. Foi nesse momento que decidiu procurar o Sebrae novamente para fazer seu plano de negócios, aprender a calcular o valor de seus produtos e fazer o planejamento da marca.

Um agente local de inovação me acompanhou durante um ano. Eu me inscrevi em um edital que para ter consultoria de negócios também por um ano para mulheres empreendedoras. E eu sempre participo de eventos do Sebrae que falam de empreendedorismo”.

Devido à demanda crescente, hoje a produção da Angí é realizada em cozinha industrial no terreno que Beatriz comprou para a fábrica, utilizando alguns processos automatizados. São três funcionários, mas o número de colaboradores aumenta em períodos como a Páscoa e fim de ano. Os produtos são vendidos pela internet e em 57 pontos do Mato Grosso do Sul.
Com bons índices de crescimento do negócio, 100% no primeiro ano e 80% no segundo, Beatriz se prepara para expandir a produção e aumentar os pontos de venda, com distribuição em grandes centros como Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre. A empresária também está prestes a inaugurar um café com a loja de fábrica no mesmo terreno onde ocorre a produção dos chocolates.
Curtiu essa história?

Compartilhe essa história:

Queremos conhecer a sua história e como o Sebrae fez parte dela.

Conte sua história

Veja mais histórias de sucesso

Encontre histórias que têm a ver com você.
105 histórias
Filtros
UF
  • AC
  • AL
  • AM
  • AP
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MG
  • MS
  • MT
  • PA
  • PB
  • PE
  • PI
  • PR
  • RJ
  • RN
  • RO
  • RR
  • RS
  • SC
  • SE
  • SP
  • TO
Solução
  • Cursos e eventos
  • Fale com Especialista
  • Sebraetec
  • Empretec
  • Outros
Segmento
  • Vestuário e acessórios
  • Alimentação e bebidas ou gastronomia
  • Eventos
  • Beleza e estética
  • Construção civil
  • Oficina/mecânica
  • Sustentabilidade
  • Tecnologia
  • Transporte