SEBRAE Cliente Sebrae

Compartilhe
Josi Modas
Marilândia/ES

A lojista premiada que começou vendendo roupa de porta em porta a cavalo

Desde criança, Josiane sabia que tinha vocação para vendas, mas foram muitas as dificuldades enfrentadas até realizar o sonho de ter sua loja e ver seus negócios se expandirem. Ao longo da jornada, o Sebrae foi um parceiro fundamental para o sucesso do empreendimento.

O início

Empreender está no meu sangue, eu amo vender. Todo começo é difícil, mas o importante é saber que essa fase ruim vai passar.

01

Debaixo de sol quente, em estradas de terra na área rural de São Gabriel da Palha, no interior do Espírito Santo, a adolescente Josiane percorria dezenas de quilômetros por dia a cavalo, vendendo roupas de porta em porta. Sua remuneração era uma pequena comissão que ganhava pelas peças vendidas. “Até hoje tenho clientes dessa época”, lembra.

Já adulta, passou a vender roupas na porta de uma fábrica em Marilândia (ES), mas, apesar da melhora nas condições de trabalho, Josi sabia que podia dar um passo adiante. Em 2015, formalizou-se como microempreendedor individual (MEI), juntou o pouco dinheiro que tinha, cerca de R$ 1,5 mil, e abriu sua primeira loja. Com o dinheiro, pagou dois meses de aluguel do pequeno ponto e comprou mercadorias. Os manequins foram ganhados.

Mas, apesar de ter talento para vendas, não tinha noção alguma de administração e gestão de negócios. Por indicação de um amiga, procurou o Sebrae para aprender a lidar com essas questões. A partir de então, passou a fazer todos os cursos a que tinha acesso.

02
03

Aprendi a calcular, a comprar mercadoria, a lidar com vendas a prazo, a tratar bem o cliente, a organizar as entradas e saídas de mercadorias e a me reinventar para me manter no mercado. Também ajudou muito com a parte burocrática da regularização do negócio.

04

Os frutos dessa parceria não demoraram a aparecer: a loja conquistou sua clientela e as vendas aumentaram. Mas, mesmo vendendo muito, Josiane diz que o dinheiro não entrava, pois estava muito endividada. Um dos problemas eram as vendas fiadas.

Mais uma vez, a solução partiu do Sebrae: uma consultora foi até a loja e a ajudou a organizar as finanças e a perceber onde estavam os erros na gestão do negócio. Ela aprendeu a calcular melhor o estoque, focou em aumentar as vendas à vista e comprou uma máquina de cartão. Josiane também passou a vender apenas roupas populares. A empresária considera esse momento um divisor de águas para o seu empreendimento e diz que tudo começou a dar certo.

Minha loja mudou da água para o vinho. O maior desafio foi entender o meu nicho, onde estavam meus potenciais clientes.

A gente precisa sonhar alto e o Sebrae me ensinou a correr atrás com os pés no chão. Indico para todos os meus amigos que querem empreender.
Com as vendas em alta e a receita equilibrada, Josiane pôde contratar um funcionário que hoje a ajuda na loja. Ela conta que 2019 foi um ano excelente para seu negócio e até ganhou o prêmio Recall de Marcas, representando o segmento de moda de sua cidade. Para 2020, planeja e espera um ano ainda melhor.
Curtiu essa história?

Compartilhe essa história:

Essa história continua. Siga nas redes.

Queremos conhecer a sua história e como o Sebrae fez parte dela.

Conte sua história

Veja mais histórias de sucesso

Encontre histórias que têm a ver com você.
105 histórias
Filtros
UF
  • AC
  • AL
  • AM
  • AP
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MG
  • MS
  • MT
  • PA
  • PB
  • PE
  • PI
  • PR
  • RJ
  • RN
  • RO
  • RR
  • RS
  • SC
  • SE
  • SP
  • TO
Solução
  • Cursos e eventos
  • Fale com Especialista
  • Sebraetec
  • Empretec
  • Outros
Segmento
  • Vestuário e acessórios
  • Alimentação e bebidas ou gastronomia
  • Eventos
  • Beleza e estética
  • Construção civil
  • Oficina/mecânica
  • Sustentabilidade
  • Tecnologia
  • Transporte